Os 101 filmes mais SUPER

REVISTA101FILMES

Fui convidado pelo Alexandre Versignassi, editor da SUPERINTERESSANTE, a editar um número especial da revista, só sobre cinema. A ideia desde o início era fazer um ranking de melhores filmes. Mas quais melhores filmes? Afinal, não fazia muito sentido repetir a abordagem mais comum: enfileirar uma centena de clássicos, os medalhões intocáveis do cinema de todos os tempos. Isso, todo mundo já faz.

E a missão da SUPER é justamente mostrar o mundo além do óbvio. Com isso em mente, seguimos a sugestão do designer Rafael Quick: fazer uma lista dos filmes “mais SUPER” da história do cinema. Ou seja, aqueles que mais têm a ver com o perfil da publicação.

Eu explico isso no editorial do especial: “No Google, você acha ranking de todo tipo: comédias, filmes de zumbi, as cenas mais sensuais. Então decidimos fazer diferente. Uma lista que refletisse os temas que estão impressos no DNA da SUPER: ciência, história, inovação, a mente humana. Por isso, você vai encontrar aqui filmes nada óbvios, além dos clássicos que mais tenham a ver com a gente. São 101 filmes que vão ajudar você a entender o mundo.”

Então já viu, né? Os puristas ficam de cabelo em pé. “Como é que me colocam Planeta dos Macacos: A Origem em 6º, enquanto Um Corpo que Cai, clássico do mestre Hitchcock, está em 87º?!”.

Calma, coração exaltado… Essa loucura tem razão de ser. Neste caso, se ainda não deu para o filme de 2011 passar pelo filtro do tempo, ele já passou por outra peneira: a de tratar com inteligência um tema muito caro à revista, que é a evolução das espécies. E o faz dando show de bola. O clássico do Hitch também tem perfil SUPER (é o Hitchcock mais psicológico), só que isso fica em segundo plano perto do fato de ser o número 1 do ranking de filmes de mistério do American Film Institute – e um dos melhores filmes de todos os tempos. Numa lista tradicional, claro, Um Corpo que Cai iria para o topo da tabela. Só que isso é o óbvio que a gente tentou evitar.

Explicações feitas, foi uma experiência incrível editar essa revista. E um trabalho de maratonista também: escrevi 99 das 101 resenhas. Quase um livro. O Versignassi pediu para escrever duas, que tratam de dois de seus temas preferidos: exatamente O Planeta dos Macacos: A Origem (evolução) e A Mulher do Viajante do Tempo (viagens no tempo).

Ainda tive o prazer de trabalhar com dois outros profissionais que eu já admirava: a diretora de arte Juliana Vidigal e o desenhista Adão Iturrusgarai, que fez 20 ilustrações engraçadas para a revista. E a revisão técnica ficou por conta de um amigo pessoal: Sérgio Alpendre, crítico da Folha de S. Paulo. Eu e o Sergião começamos nessa vida de cinéfilo juntos quando éramos colegas de faculdade – e corríamos da segunda aula para pegar a última sessão de cinema.

Mas, espera aí… Toda essa explicação não quer dizer que a revista não deve ser contestada. Pelo contrário. Na área da cultura, rankings consensuais nem deveriam ser escritos. Toda lista de melhores é uma provocação.

Que venham as tijoladas.

* * *

OBS: Como aperitivo, estou deixando nesta seção do blog quatro textos da 101 Filmes. Mas, para saber a posição de cada um no ranking, você vai ter de comprar a revista – que está nas bancas. Enjoy it.

Enviar por E-mail

Sobre o autor:

10 comments on “Os 101 filmes mais SUPER

  1. Vi a revista agora, pois é. Dei uma folheada, li o editorial e li a resenha de “Três Homens em Conflito”. Não sei se explica a sua identificação com o DNA da Super, acho que ele está lá mesmo por ser um filmaço (independente da proto-tarantinice). E aí eu pergunto: não deu pra dar uma alcochambrada similar e incluir o maior filmaço de todos os tempos, “O Poderoso Chefão”?

  2. Na minha mísera opinião faltou Jurassic Park. Porque o filme é super: Além de ter mostrado pela primeira vez na história dinossauros que realmente pareciam reais, a ideia central do filme é fantástica ao retratar a falta de ética do ser humano com a manipulação genética ao clonar dinossauros para usá-los como atração em parque temático. Tudo no filme era ficção, claro, pois é impossível recuperar DNA de dinossauros. Mas, atualmente, vinte anos depois, já existem cientistas tentando clonar um animal extinto: Mamute. Isso cabe uma discussão ética grande, visto que não existem mais outros animais da mesma espécie, ademais, seus hábitos são desconhecidos e o habitat natural do animal não existe mais.

    • Boa, Leandro. Infelizmente, não deu para colocar todos os filmes que gostaríamos, mas você tem razão: Jurassic Park tem tudo a ver.
      Obrigado pelo comentário.

  3. Forrest Gump, na minha opinião, deveria ter sido incluído na lista. Mais um filmaço de Robert Zemeckis, o melhor dele. Por que esse filme é tão Super: porque mostra Tom Hanks intervindo nos principais momentos da História dos EUA e do mundo entre os anos 50 e 80.

    • Olá, Ednaldo. Você tem razão: o filme tem perfil para a lista, sim. Mas, enfim, precisávamos escolher 101. E tentamos não juntar muitos filmes extremamente populares, para evitar que a lista fosse óbvia. Obrigado pelo comentário.

  4. Alexandre, parece que o filme que você chama de “A mulher do viajante do tempo” saiu por aqui com o título de “Te amarei para sempre”. Procede essa informação ? Abraços.

    • Olá, Rodrigo. Saiu com mais de um título. Hoje está mais conhecido como “Te Amarei para Sempre” mesmo. Mas nós preferimos o título mais fiel ao original.
      Abraço.

  5. Oi, Alexandre
    Acabei de devorar a revista (comprei ontem) e gostei bastante da sua lista. É claro que listas são sempre polêmicas e não quer dizer que eu concorde com tudo. O legal é que descobri alguns (poucos, é verdade) que eu não conhecia e agora fiquei interessado. Mas não vim aqui para reclamar (ou dar pedrada, como você falou) da lista, que respeito, mas para fazer uma lembrança de um filme obscuro e subestimado. Talvez você conheça, não sei, como eu disse é um filme bastante obscuro. Aqui no Brasil se chama “Denise está chamando” (Denise calls up, em inglês). Você citou o argentino Medianeras como um exemplo de filme sobre relações interpessoais de nossos tempos, pois bem, Denise está chamando já fazia isso em 1995 e com grande criatividade e senso de humor. Um pouco (mas não muito) mais de informação sobre o filme pode ser visto em sua página no IMDb: http://www.imdb.com/title/tt0112844
    Bom, quem vir parar aqui, como eu, por causa da revista que se sinta à vontade para dar uma olhada nessa dica.
    um abraço!

    • Oi, Paulo. Vi esse filme há muito tempo, mas não me lembro direito de como era. Taí, boa dica. Vou procurar para rever, sim.
      Obrigado pelo comentário e a sugestão.
      Alexandre.

Deixe uma resposta para Rodrigo Mendonça de Menezes Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não serã publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>